Pesquisar este blog

domingo, 9 de março de 2014

Tales - Estrutura Nominal - Exercícios

Olá.
Como prometido, segue um material sobre estrutura nominal.
O gabarito encontra-se na última página.

Abraços.





14 comentários:

  1. Ei Jason, na questão 16 eu não poderia marcar a alternativa (A) pois SAUDÁVEL não é adjetivo? Visto que em Incidência e Tratamento os sufixos ÊNCIA e MENTO denotam ação, fiquei em duvida só em relação ao "saudável" mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em APRECIADOR e TRATAMENTO, os sufixos indicam agente/ação (aquele que aprecia / aquilo que trata ou o ato de tratar) e ambos são substantivos. A questão pedia para indicar o par de palavras que contivesse a mesma função (ou seja, substantivos) e a mesma ideia (ou seja, agente). SAUDÁVEL é um adjetivo e o sufixo serve exatamente para forma essa classe gramatical, por isso não poderia ser essa palavra. Já em REMETENTE e ELABORAÇÃO temos exatamente o que a questão quer: ambos são substantivos cujos sufixos indicam agente/ação (aquele que remete / ato de elaborar).

      Excluir
  2. Jason, fiquei em dúvida no sentido do "i" e no "in" em algumas palavras da lista: implicante, indigno, inflamável, influenciável e indigente. Quais seriam os sentidos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Olha aí, Rayza.
      Implicante vem de implicar que provém do latim implicarE, “dobrar junto, entrelaçar, unir”, de IN, “em”, mais PLICARE, “dobrar”.
      Em indigno temos o prefixo IN significando negação, não digno.
      Em inflamar, temos a palavra flama (chama) e o prefixo IN tem o sentido de “em”; assim, a palavra passa a ideia de “colocar fogo em”.
      Já influenciável vem de influência que provém do Latim INFLUENTIA, de INFLUERE, “correr para”, referindo-se a um líquido, de IN-, “em, para”, mais FLUERE, “correr, fluir, deslizar”.
      E indigente vem do Latim INDIGENS, de INDIGERE, “precisar, necessitar, estar em falta”, de INDU, “em, dentro”, mais EGERE, “precisar, querer”, conforme nos informam os amigos do site "origem das palavras".
      Ok?

      Excluir
    3. Mas nessa última, "indigente", INDU seria um prefixo ou um radical?

      Excluir
    4. É prefixo, é o que deu origem ao prefixo IN.

      Excluir
  3. Jason, na questão 10 não teríamos duas alternativas corretas? Pois tanto ''aguada'' como ''freada'' insinuam ação, que é a função do sufixo -ADA, e, portanto, apresentam o mesmo sentido de engenheirada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha aí.
      Em freada, temos o significado de ação; em cajuada, caldeirada e cervejada, temos o significado de conjunto/quantidade; em aguada, temos também uma característica por ideia de conjunto, quantidade.
      Uma bebida aguada é porque está com muita água, água demais.

      Excluir
    2. Mas e se eu disser que a grama foi aguada? Não estarei me referindo a uma ação?

      Excluir
    3. Mas observe que é uma ideia passiva, ela foi aguada. A ideia de ação, ativa não prevalece. A planta recebe a ação. Por isso não é considerada uma ação no sentido próprio pedido pela questão.

      Excluir
  4. E na questão 13, "DESVARIO"... "vario" viria de "variar", no caso variar a sanidade mental. E como o "DESVARIO" seria equivalente a variar a sanidade mental, esse "DES" seria a intensificação? Sem considerar o significado puro do" DES" que significa ideia contrária ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O DES em DESVARIO significa mesmo intensificar mesmo e não tem nenhuma relação com negação. "Desvario” é o ato de “desvariar”, verbo que vem do espanhol e resulta do acréscimo de “des-” (intensivo) a “variar”. Como “variar” pode significar “enlouquecer”, “perder a razão”, o verbo “desvariar” acaba sendo o mesmo que “perder a razão”, “cometer desatinos”. Em “desvario”, portanto, o “des-” expressa intensificação, e não negação. Isso acontece também em DESINFELIZ e no nosso regionalmente conhecido DESEMBESTADO (com a besta no "coro", como dizem por aqui.).

      Excluir